Plus

    Mont Saint-Michel: as 11 melhores coisas para ver e fazer

    A joia da França não é mais Paris não senhor, a joia fica no norte, cerca de 5 horas de Paris, e se chama: Le Mont Saint-Michel!

    Não esperamos, não imaginamos que nos possa cativar a tal ponto, mas atravessar a França de carro é uma daquelas viagens que se tem de fazer uma vez na vida (ou várias vezes) e o Norte guarda segredos que queremos compartilhar.

    Aldeias encantadoras, gastronomia divina, vinho, muito vinho e uma nova descoberta: a sidra francesa.

    A rota do Norte de França levou-nos à Normandia e a algumas das suas aldeias, com o objetivo de chegar ao Monte Saint-Michel. Então prepare-se para uma série de histórias sobre esses vilarejos que você pode visitar na Normandia e que vão te inspirar a sair de Paris.

    Uma breve história do Mont Saint-Michel e sua abadia


    Como muitas histórias medievais, tudo começa com um “era uma vez”…
    Quando você olha para esta fortaleza, ou como Victor Hugo a chamou, esta…

    “obra da natureza e do homem

    • obra da natureza e do homem, é impossível não imaginar essas histórias infantis: castelos e dragões.

    Mas falando sério, antes de se chamar Mont Saint-Michel, o deus sol gaulês, Belenus, era venerado neste afloramento rochoso entre o mar e o estuário de Couesnon, e seu nome na época era: Mont ou Tumba de Belenus, até a chegada dos cristãos.

    Reza a lenda que Aubert, Arcebispo de Avranches em 708, teve vários sonhos em que o Arcanjo São Miguel aparecia e lhe pedia que construísse um templo em seu nome.

    Em 709 foi construída uma igreja para venerar São Miguel e uma nova história começou.

    Aos poucos, uma comunidade beneditina se estabeleceu na ilha rochosa por ordem do arquiduque da Normandia. Assim começa a história do Mont Saint-Michel.

    A partir de então, a ilha teve uma pequena população, que foi crescendo com o passar dos anos, presenciando as transformações da França e do mundo.

    Seu período mais sombrio é talvez o da Revolução Francesa e o período imperial. A abadia do Monte Saint-Michel foi transformada em prisão, o que causou sérios danos à sua estrutura.

    Victor Hugo ficou tão fascinado com a estrutura que ousou chamá-la de “o Quéops da Europa Ocidental”. Ele amava tanto a ilha e o que ela representava que lutou contra o Império Francês para fechar a prisão, o que conseguiu em 1863.

    Em 1979, o Monte Saint-Michel e sua baía foram listados como Patrimônio Mundial da UNESCO.

    Mont Saint-Michel e a maré

    Não vamos entrar em detalhes, mas as marés do Mont Saint-Michel fazem parte da atração.
    A sua localização privilegiada no estuário de Couesnon, entre as regiões da Normandia e da Bretanha, permite a esta ilha rochosa testemunhar o fenómeno das marés mais importante da Europa.

    Como chegar ao Mont Saint-Michel saindo de Paris?

    VIAGEM DE TREM PARA O MONT SAINT-MICHEL DE PARIS
    Você pode chegar ao Mont Saint-Michel de trem na estação de Montparnasse, em Paris. Para chegar a esta estação, você pode pegar o metrô de Paris, linhas 4, 6, 12 e 13 Montparnasse – Bienvenüe.

    Da estação de Montparnasse, você chegará à estação de Pontorson, que é a estação mais próxima do Mont Saint-Michel. Da estação de trem, você pode pegar um ônibus que o levará ao Mont Saint-Michel.

    CHEGAR A CAEN DE CARRO
    Se decidir ir de carro, o que recomendo, porque pode parar em cada vilarejo encantador, mesmo que a viagem seja mais longa, pode consultar o site da Michelin, que lhe dá opções de percursos, com o custo das portagens.
    Os pedágios na França são muito caros e se você pegar as estradas principais você pode encontrar alguns, então prepare seu GPS e procure todas as estradas alternativas, você não vai se arrepender, as aldeias que você encontra são maravilhosas.

    ESTACIONAMENTO NO MONTE SAINT-MICHEL
    Ao chegar ao Mont Saint-Michel, pode estacionar o seu carro nos lugares previstos para o efeito.

    Para ir à ilha, você deve:

    Um ônibus de transferência, chamado Passeur, é gratuito e funciona das 7h30 à meia-noite.

    De charrete ou Maringote, para mais informações sobre este modo de acesso, contacte o posto de turismo.

    Não se esqueça de verificar os horários das marés para poder escolher o horário da sua visita, garanto que ficará fascinado.

    Qual a melhor época para visitar Mont Saint-Michel e Normandia?

    Localizado no noroeste da França, o clima é predominantemente oceânico e é caracterizado por temperaturas amenas e chuvas abundantes.
    Os meses mais chuvosos e úmidos são o outono.

    O verão tende a ser mais quente, mas com mais visitantes.

    Portanto, é recomendável visitar esta região na primavera. Você não apenas se beneficiará de um clima mais agradável, mas também encontrará melhores preços e menos visitantes.

    A abadia de Mont Saint Michel.

    O que coroa o ilhéu, no Monte Saint-Michel, é a majestosa construção gótica da abadia beneditina, dedicada ao Arcanjo Miguel.

    É um centro de peregrinação, declarado Património da Humanidade pela segunda vez em 1998, no âmbito da rota francesa para Santiago de Compostela.

    Hoje, a abadia em homenagem a São Miguel reúne crentes e não crentes para apreciar sua arquitetura e sua história.

    A abadia é administrada por duas comunidades de monges e freiras, que vivem na ilha.

    Contorne a baía.

    Há atividades para passear um pouco pela ilha, para fugir, sabendo que por algumas horas tudo estará debaixo d’água.

    FIQUE SEGURO. Evite fazer essa atividade sozinho e sem saber os horários exatos das marés, há histórias de aventureiros que foram passear e que, sem perceber, se viram cercados pelas águas.

    Não deixe isso acontecer com você!

    Descubra La Chapelle-Saint-Aubert

    Pequeno, uma jóia escondida na ilha, você pode encontrá-lo vazio, então aproveite este espaço secreto para escapar das multidões. Construída em pedra, com pinturas no interior e um belo altarzinho.

    Segundo a lenda, tudo começou nesta capela, onde o Bispo de Avranches foi tocado pelo Arcanjo Miguel.

    É melhor visitar na maré baixa se você estiver preocupado com a segurança.

    Caminhe na La Grande Rue

    A rua principal da ilha, aquela que te transporta para a França medieval. Também será a rua mais movimentada se você visitá-la durante a alta temporada turística. No entanto, se você passar a noite na ilha, a achará menos movimentada.

    Durante o dia, você pode visitar cafés e lojas de souvenirs. Os edifícios à sua volta datam do século XV, XVI, por isso prepare-se para contemplar os detalhes da sua construção.

    Entrada por La Porte du Roy / Porte du Boulevard / Porte de l’Avancee

    Isso mesmo, essa grandiosa entrada medieval com vários nomes. A Porte du Roy, Porte du Boulevar ou Porte de l’Avancée, é simplesmente a entrada do Mont Saint Michel.

    No entanto, na pressa de visitar, você corre o risco de perder e perceber sua importância – uma história e tanto se passou por lá!

    Fortificada para evitar invasões, já foi visitada por reis, peregrinos e até por Victor Hugo. Agora você vai passar.

    Caminhe pelas muralhas do Mont Saint-Michel

    As muralhas continuam sendo uma importante peça de arquitetura para ver no Mont Saint Michel. Parte de sua construção começa com os conflitos da Guerra dos Cem Anos entre a Inglaterra e a França.

    Era essencial proteger o Monte. Então você verá essas grandes fortificações, com torres, pontes, pontes levadiças e fossos para evitar cercos. Enquanto você caminha, imagine o momento, uma grande parede feita pelo homem, com as marés, (Arcanjo Miguel) protegendo o Monte Saint-Michel.

    Descanse na represa Couesnon

    A represa é um excelente lugar para contemplar o Mont Saint-Michel, talvez possamos assistir o pôr do sol de lá, com um piquenique e a vista do espetáculo.

    Um pequeno pedaço de modernidade antes de mergulhar no mundo medieval do Mont Saint-Michel.

    Melhor omelete no La Mère Poulard

    La Mère Poulard é um restaurante e pousada fundado em 1888. No coração da Grande Rue, este famoso restaurante é especializado em omeletes e biscoitos caseiros.

    A história de La Mère de Poulard é uma história de amor, uma jovem que se apaixona pelo padeiro do Mont Saint-Michele e decide ficar, juntos abrem esta pousada e este restaurante que na época recebia peregrinos. Hoje, recebe peregrinos e turistas.

    Visita ao museu histórico do Mont Saint-Michele.

    Este museu apresenta a história do Mont Saint-Michele desde 1300 até os dias atuais. Não é um museu muito grande, mas é interessante saber um pouco sobre o que fez do Mont Saint-Michele o que é hoje. Aqui você encontra peças históricas, como esculturas, armas, instrumentos de tortura e pinturas.

    Assista ao pôr do sol sobre o Mont Saint-Michel.

    Uma atividade essencial, assistir ao pôr do sol sobre o Monte Saint-Michel é um daqueles pores do sol que serão lembrados.

    Vous aimerez aussi

    Booking.com

    Découvrez

    A melhor lista de coisas para fazer na África

    -Faça um safári no Parque Nacional Serengeti, na Tanzânia O Parque Nacional Serengeti, na Tanzânia,...

    Por que fazer um safári – 5 razões para...

    -Observar animais em seu habitat natural Os animais são fascinantes e é interessante observá-los em...

    5 Benefícios de fazer um cruzeiro nas férias

    - Os cruzeiros são uma ótima maneira de relaxar e apreciar a bela paisagem. Os...

    As 5 melhores cidades para visitar nos Estados Unidos

    -Visite a cidade de Nova York A cidade de Nova York é uma das cidades...

    5 razões para ir à Espanha nas suas férias

    1. A cozinha espanhola é uma das melhores do mundo. A gastronomia espanhola é reconhecida...

    5 melhores destinos para viajar na Ásia

    - Birmânia por seus templos antigos e paisagens naturais deslumbrantes Localizada no Sudeste Asiático, a...

    Categories Populaires

    Comments